quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Camisetas de blues, rock e filmes - DEVIL CAMISETAS


Camisetas de blues, mas você pode pedir de rock paulera também. Heavy, thrash, death, black, punk, grind, hc crust... Tem também camisetas com temas de filmes, animes, series, HQs e muito mais. Onde achar tudo isso ?  Na Devil Camisetas
Add o gerentão Enriqueddo, faça seu pedido e fique bonito no rolê!
Nas camisetas os ilustres Buddy Guy & Junior Wells e Howlin Wolf .  


quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Corubo - Amgy Mbya Kuery Hachpama, opa mba anchy avei (2009)


Corubo
Origem: Paraná / Brazil
Album:Angy mbya kueiry 
hachypama, opa mba'e achy avei
Ano:2009

Hoje um play muito interessante... Se trata de uma banda que se auto-intitula "indian black metal" , uma verdadeira massa sonora de ruídos, ambientações e extremidades sonoras com certas doses de criatividade e conteúdo. 
Os caras traçam uma guerra musical e cultural, seja contra os paradigmas do metal extremo/bangers/afins, ou, contra a própria sociedade brasileira que costumeiramente desdem da cultura dos povos nativos, muito rica e complexa por sinal, tanto é que pouco compreendida e valorizada pelas massas. 
Falando de som, a brutalidade corre solta. Riffs de black metal mesclado à ambientação de instrumentos tracionais indígenas, mistura essa que se repete em boa parte das canções. Os vocais sombrios também se completam com gritos de guerra e lamentos. O idioma principal adotado nas faixas é o GUARANI, mas também encontramos outros sons em português e salve engano algumas mensagens em espanhol em meio ao temporal de riifs e ruídos. 
Um conjunto abstrato de sons que mais parecem soprar das profundezas da mata fechada. 
Respeito e apoio aos nativos da America do Sul, essa é a proposta desse trabalho. O melhor é conhecer a banda através da própria banda. Segue mais informações! 

"INDIGENOUS BLACK METAL, an idea that began between 1999 and 2000, it's not a Viking metal, not Nordic, not Satanic, not Nazi (anti), not NS (anti), but something with own origin and culture, something new and personal. The indigenous culture is almost extinct, many people see the indigenous peoples as something negative, or see with proud the real people from the country, the same country as almost exterminated them. But many people resist, as Corubo. The fact of living in an self environment, without laws, freedom, alone, in cooperation and respect, while in action against anything that destroys this ideal, brings us identification. We don't have nothing against cultures of other regions, but many, as the European culture that is highly exploited, its people are giving up their freedom by name or honor of a king, of a flag, of a law, of a race (even though exist only one: the human).
IN ACTION FOR FREEDOM, AGAINST POLITICS, NATIONALISM AND FRONTIERS!" 

"INDIGENOUS BLACK METAL, an idea that began between 1999 and 2000, it's not a Viking metal, not Nordic, not Satanic, not Nazi (anti), not NS (anti), but something with own origin and culture, something new and personal. The indigenous culture is almost extinct, many people see the indigenous peoples as something negative, or see with proud the real people from the country, the same country as almost exterminated them. But many people resist, as Corubo. The fact of living in an self environment, without laws, freedom, alone, in cooperation and respect, while in action against anything that destroys this ideal, brings us identification. We don't have nothing against cultures of other regions, but many, as the European culture that is highly exploited, its people are giving up their freedom by name or honor of a king, of a flag, of a law, of a race (even though exist only one: the human).
IN ACTION FOR FREEDOM, AGAINST POLITICS, NATIONALISM AND FRONTIERS!" 

domingo, 6 de outubro de 2013

John Cephas & Phil Wiggins - Flyp , Flop & Fly (1992)



John Cephas & Phil Wiggins
Origem: Washington DC / EUA
Album: Flyp, Flop & Fly
Ano:1992
::Link download::


Rural blues para acalmar o corpo e a mente! 
Não conhecia essa dupla, baixei hoje e já ouvi umas três vezes o play inteiro. 
Apesar do estilo de tocar e dos arranjos de tempos remotos, a dupla não é da velha escola do country blues, se conheceram mesmo durante uma jam session em um festival de folk em 1976, desde então, não se desgrudaram mais. Foi então que a parceria só teve fim quando o guitarrista John Cephas, um pouco mais velho, móorreu em 2009. 
Sonzera que lembra Sonny Terry & Bownie McGhree (os melhores na minha opinião no estilo duo country blues). Quem curte o blues dos anos 20 e 30 , ou busca inspiração em seu conjunto musical/blues/ rock rural/musica/caipira... pode baixar o material, que é lindio!



Olha eles ai,puro mojo! 



o tocador de harmônica continua na ativa, confira o site www.philwiggins.com

sábado, 5 de outubro de 2013

Violator - Killer Instinet (demo) (2002)




Violator
Origem: DF / Bra$il
Album: Killer Instinet (demo)
Ano:2002
::Link download::


Ainda me lembro quando fui no primeiro xou desses carinhas em 2007... Haviam vários grupos de bangers e punks e demais criaturas da noite underground, cada um com a sua guanguinha bebericando, jogando conversa fora e fazendo folia na frente do estabelecimento, o antigo café mostarda( mais um pico que terminou vitima da fatimagem).
Me lembro em flashs, da minha mente alcoolizada.... que alguns bangers mais velhos murmuravam  que o Violator "era punk demais" pro gosto deles, coisas do tipo.
.......................

Foi quando o Vocalista/baixista Poney lançou um "boa noite, essa noite e todas as noites...united for thraaaaaash!!!!" 

Ai meu chapa, aquela roda gigante de mosh engoliu todo mundo e boto geral para bailar! Bateção de cabeça sem limites, gente feliz, gente estasiada, gente reclamando do cheiro de gente ou da agressividade da dança da gente... uma noite alucinante!!! 
Aconteceu em 2007...
E hoje(2013) esses caras tão ai... Fazendo o que muitos gostariam de fazer. Dando as caras por vários países, cidades, conhecendo roles, tocando e gravando faixas cada vez mais matadoras. Etc etc etc... 
É alto, rápido e pesado... quaaase punk...hehe. 

alguns registros blhegggh de 2007 
Violator gig Campo Grande/MS - Brazil  





sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Netjajev Society System


Netjajev Society System
Origem:???
Album: Discography
Ano:2005 - 2006
::Link download::

O árduo trabalho de um cara só. Se você tem bom gosto, boa aparência, bem sucedido, nenhuma dislexia e é fã de Guns n Roses, nçao baixe esse atentado sonoro! 
Aqui é fastcore grindcore + covers de beatles, ramones, electro hippie e negative approach. Som rápido e cabuloso com acréscimos de zumbidos e agulhadas nos ouvidos. 
E não pense que o material é mal gravado, o resultado fonográfico dessa desordem sonora e comportamental é impecável, alto e em bom(!?) som. 
Em meu quase nulo conhecimento técnico, imagino terríveis combinações de pedais (fuzz, deati metal, reverbs)  ruidos estranhos, mixagens, samples medonhos, plug-ins bizarros e sei lá mais que caralhoa4 que esses desocupados usaram em estúdio na confecção dessa obra (barato)... Resultado, depois de ouvir o play duas vezes, to até sentido uma leve dor de cabeça. 
 Em breve, mais sons sem o minimo de decência...Quem quiser conhecer um outro trabalho desse arteiro, não deixe de ouvir a nebulosa Syphilitic Vaginas. 
É isso...Boa noite e boa sorte.

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Lightnin Hopkins - Goin' Away (1963)


Ligthnin Hopkins
Origem: Texas/Estados Unidos
Album:Goin' Away
Ano:1963
::Link download::


É meus amigos, nem só de distorções e arrotos que vive um ser...Segue então de presente para vc, nobre navegante da internet, uma boa sugestão de trilha sonora para suas longas viagens, para seus dias de solidão, ou para deitar e rolar com sua/seu companheirx. 
Ah, importante dizer... Esse senhor ai esta entre os 100 maiores guitarristas da história segundo uma importante revista do ramo. 
É sensacional como alguns caras como o nosso Lightnin Hopkins fazem parecer fácil tocar uma guitarra, sem duvida é um gigante absoluto da guitarra/violão. E não é pela velocidade do solo, não é pela complexidade rítmica, mas sim, pela maestria em executar canções empolgantes, o uso de fraseados no momento certo, no ponto ideal, o sentimento transferido para o instrumento, a estrutura do som, pelo impacto de suas composições nas gerações posteriores, e, sem sombra de duvidas, pelo modelito maroto de seus óculos escuros...
Lightnin Hopkins é vanguarda em tudo! 
Saco só!


GORÓ AGAIN!!! 


quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Chaos UK - The Chipping Sodbury Bonfire Tapes (1989)




Chaos UK
Origem: Bristol / Reino Unido
Album: The Chipping Sodbury Bonfire Tapes
Ano: 1989
::Link download::

Bom pra garai esse play! O tipico punk/hardcore inglês destilando critica social e embriagues com um certo aditivo crossover/thrash em algumas canções. 
Na verdade, indo mais a fundo, o que me parece mesmo é o encontro do tipico punk 77 rueiro com um hardcore muito rápido de bateria ultra acelerada e palhetadas cavalgadas, chegando assim praticamente a um crossover! Uma mistura um pouco inusitada, pelo menos é o que eu acho. Só ouvindo o play pra se ter uma boa noção do que digo.
O que chama atenção também é o uso de vários samples bizarros e até uma faixa remix com tipicas batidas sintetizadas, aquelas, bem característica dos anos 80.
Imagino que esse álbum seja muito importante no universo/cenário punk/hc mundial. A sonoridade é unica e bastante sagaz. Pra min, é REFERÊNCIA!!! 
Abra uma gelada e bora curtir!

terça-feira, 1 de outubro de 2013

The Gories - House Rockin' - BLOG DE VORTA








Gories
Origem: Detroit /EUA
Album: House Rockin'
Ano: 1988
::Link download::
http://www.mediafire.com/download/i33xsokttykic30/The+Gories+-+1988+-+House+Rockin%27.rar


O voodoo sonoro de hoje vem em forma de garage punk blues, estilo que tem ocupado meus ouvidos e imaginação nos últimos tempos. 
O encontro do cinismo punk com a rusticidade do velho blues que resultam numa maravilhosa vadiagem musical.   

Punk e blues, ambos de tamanha espontaneidade e urgência, ambos que seguem um estilo de vida muitas vezes na contra mão do convencional, ambos que muitas vezes lutam pela sobrevivência, buscam prazeres e,  de um modo até tímido, no fundo, procuram um pouco de esperança em dias melhores. Tanto no punk quanto no blues, a diversão e boêmia são indispensáveis...tudo é valido para espantar os fantasmas da solidão, do tédio e do incerto. 
Temos aqui dois estilos musicais forjados no "underground", cada qual em seu respectivo lugar de origem, e é obvio que o blues, se criou e atingiu a puberdade em um ambiente muito mais hostil. 
O nosso querido blues vem ao mundo aproximadamente no final do século XIX no formato de working songs ( canções cantadas pelos escravos e depois pelos seus primeiros ancestrais durante longas e pesadas horas de trabalho), caminhou durante décadas restrito quase que predominantemente ao público negro frequentadores de tabernas, cabarés, plantações e todo tipo de posto de trabalho rural. Também se encontrava o blues presente em alguns raros jazzistas e artistas do teatro e da dança, no canto gospel, entre os prisioneiros, viajantes e retirantes. O blues, só passou a ser mais notável nas rádios e na industria musical mesmo a partir dos anos 40 do século XX no período pós guerra. 
A situação nesses tempos difíceis, onde o blues ganhou formas e características, era praticamente, matar, morrer, se lascar ou fugir pra bem longe. Sempre na estrada, seja na zona rural ou nas cidades com grandes demandas de trabalho, o blues narra a sobrevivência de diversas formas; pode ser a ausência de um amor perdido, a angustia e espera que um affair um dia volte, o descanso ou a esbornia depois de um longo dia de trabalho, a busca por uma vida mais digna se esquivando dos insetos racistas ou o constante habito de tentar ser feliz improvisando dia após dia. Resumindo, no primórdio, o blues narra a vida do individuo negro, o maior protagonista do próprio gênero durante muitas décadas. 

Já o punk, mais ligado à juventude branca pobre e arruaceira do Reino Unido e das metrópoles Norte Americanas, vem com um estilo de vida assumidamente contestador, às vezes niilista, ou anarco, ou socialista, ou infelizmente/vergonhosamente reacionário...A grande característica da postura punk é a "acidez" e a inflamação diante temas políticos e sociais.  
Os primeiros sintomas de rebeldia e delinquência sistematizada da juventude começam a surgir nos anos 60, já com algumas sonoridades experimentais, deformadas e sombrias para o já tão famigerado rock n roll. Mas é só em meados dos 70's que o vírus da rebeldia punk despiroca de vez sobre boa parte da juventude suburbana. É quando esses seres fudidos e sem projeções para o futuro, passam também a enfrentar o desemprego, os vícios, começam a perceber as crises de valores, crises no sistema econômico, abusos das autoridades, vedações de direitos aos menos favorecidos economicamente, e os privilégios concedidos às elites. Em meio a tudo isso surge também a necessidade de se executar um tipo de rock ruidoso e inflamado que expressasse os fatos e sentimentos do momento.Junto do pacote vem também a atitude de um visual carregado e que causasse repulsão, que desafiasse a ordem e bons costumes. Vem também protestos, coletivos, gangs, ocupações, "Do It Yourself", palavras duras e rejeições a diversos padrões. A ordem era não ter ordem...era "causar".

Bem, o blues é aquilo, o punk é isso...ai cada um chega na sua conclusão.
Acho ótima a fusão dos dois gêneros...poesia, melódia, charme, feiura, grunhido, ruídos, desabafo, indignação, boêmia, rebeldia, guitarras e a essencial batida hipnotizante. 

Para iniciar a nossa degustação de boa parte do que escrevi, The Gories é a sugestão da casa. Não só pelo som descoladão, tosquera e estiloso, mas também pelas belas homenagens ao Hollin Wolf na execução da faixa "You'll Be Me" e ao rei do woggie boogie John Lee Hooker com "Boogie Chillin". E segue o play com gritos, sussurros, tambores, guitarras saturadas e harmônica no talo!